Leve Esperana At que ele Venha
palavra pastoral

Home » Mensagens » Palavra Pastoral

Palavra Pastoral

Por que vir à Igreja?

“Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele” (Atos 1.14)

Pr. Renato Costa - 24/07/16

Amados irmãos, uma das marcas da igreja primitiva que aparece a nós com clareza no livro de Atos, bem como nas cartas paulinas e também de Pedro, é a marca da comunhão constante. Sim, eles estavam o tempo todo juntos, como vemos no texto acima e nos demais a seguir: Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão... Os que criam mantinham-se unidos... Todos os dias continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições... (At 2.42-47); Da multidão dos que creram, uma era a mente e um o coração (At 4.32a); Todos os que creram costumavam reunir-se no Pórtico de Salomão (At 5.12b). Fica claro a nós mediante os textos acima que os primeiros discípulos de Jesus se reuniam para aprender do ensino dos apóstolos, para se encorajar mutuamente, para partir o pão e para suprir as necessidades uns dos outros. Além disso, diz-nos ainda o texto do capítulo 12 de Atos que a igreja estava reunida em oração em favor do apóstolo Pedro, que se encontrava encarcerado a mando de Herodes: Pedro, então, fico detido na prisão, mas a igreja orava intensamente a Deus por ele (At 12.5). Vejam, meus irmãos, que também em momentos de angústia e de aflição, aquele grupo de irmãos compreendia que pela comunhão em oração eles poderiam perseverar. Como fruto desta intensa comunhão e das orações daqueles irmãos, o apóstolo Pedro foi milagrosamente liberto da prisão e, de imediato, se dirigiu ele também para o lugar em que eles estavam reunidos a fim de testemunhar daquilo que Deus lhe havia feito. Experiência semelhante, o mesmo Pedro já havia passado com João, conforme lemos no capítulo 4 do mesmo livro de Atos: quando foram soltos, Pedro e João voltaram para os seus companheiros e contaram tudo o que os chefes dos sacerdotes e os líderes religiosos lhes tinham dito (At 4.23).

Amados irmãos, diante de um cenário de perseguição religiosa intensa, de baixos recursos, da necessidade de construção de uma doutrina sólida, uma vez em que ainda estavam aprendendo o que significava viver a fé em Cristo como igreja, além ainda de outras necessidades, os primeiros cristãos descobriram no “estar junto o tempo todo” uma solução eficiente para o alcance de todos estes alvos. E a igreja de hoje? Não temos diante de nós os mesmos desafios? Não vivemos nós também pressionados por uma cultura hipermoderna que afirma ser possível viver cada um conforme os seus próprios interesses? Não temos nós também a necessidade de fortalecimento da sã doutrina, já que o pluralismo religioso e de igrejas evangélicas só fazem corromper a essência do evangelho, confundindo mais do que contribuindo? Não nos deparamos com a sensação de vazio interior e com o fantasma da depressão sempre a nos assombrar? Portanto, precisamos fazer aquilo que nos ensina a carta aos Hebreus: é preciso que prestemos maior atenção ao que temos ouvido, para que jamais nos desviemos (Hb 2.1) e imitar o dia a dia da igreja primitiva.

Meus irmãos, é tempo de nos apegarmos com maior firmeza à esperança que nos foi dada. É tempo de fortalecermos a nossa comunhão como igreja. Priorize os momentos de culto, eles são únicos e a adoração a Deus em família fortalece a nossa fé, renova a nossa esperança, cura as nossas feridas, solidifica a nossa perspectiva e nos dirige no caminho da salvação.

A minha oração e eu convido você a orar comigo, é para que a intensa comunhão vivida pelos primeiros cristãos seja também a nossa marca no tempo que se chama hoje.

Pr. Renato Costa

© 2013 - 2017 - Igreja Evangélica Batista em Vila Antonieta - Todos os Diretos Reservados

Igreja Evangélica Batista em Vila Antonieta
Rua Antonio Neto Caldeira, 500 - CEP 03475-040 - Vila Antonieta - São Paulo - SP
Tel.: (11)2724-6258 - igrejabatista.vilaantonieta@gmail.com